De acordo com Polícia Civil, a mulher foi morta a facadas e o suspeito cometeu suicídio logo em seguida
O caso ocorreu na tarde desta segunda-feira (14), dentro de um hospital particular na cidade satélite da Ceilândia, onde a mulher buscava atendimento para filha pequena.
Shirley Rúbia, de 39 anos, buscava atendimento para a filha pequena e foi assassinada a facadas.
Conforme a assessoria do Hospital São Francisco, a vítima estava na ala pediátrica. O casal chegou junto com a criança, para uma consulta médica.
Ainda segundo a assessoria, "em determinado momento, o homem saiu do consultório". Pouco minutos depois, Rafael Rodrigues Manoel, de 35 anos, voltou com uma faca e atingiu a esposa.
"O médico e a filha do casal presenciaram o crime", disse a assessoria.
Uma irmã de Shirley Rúbia disse ao G1 que o casal estava separado há quatro meses. Segundo ela, Rafael não se conformava com a separação.
A mulher chegou a ser socorrida, mas não resistiu. Segundo o hospital, a criança foi atendida pelo departamento psicológico da unidade.
Conforme a Polícia Civil, depois de matar a esposa, o suspeito deixou o hospital e cometeu suicídio. Ele foi encontrado em Samambaia, a cerca de 7 quilômetros do local do crime.
Ao G1, a delegada da Delegacia de Atendimento Especial à Mulher (DEAM II), Adriana Romana, disse que o caso é tratado como feminicídio. "Infelizmente mais um", informou a delegada.
12 feminicídios em 2020
De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF), de janeiro a agosto deste ano, foram contabilizados 12 feminicídios na capital. No mesmo período do ano passado, 21 mulheres foram vítimas do crime.
Por Afonso Ferreira, G1 DF
Com informações de

Deixe seu Comentário